Fale Conosco

"Microsoft corrige 'bug' que fazia Windows esquecer datas e realizar manutenção excessiva em SSDs"

Empresa também lançou pacote mensal de atualizações corrigindo 129 vulnerabilidades em seus produtos.

A Microsoft começou a distribuir uma atualização para o Windows que corrige um "bug" no desfragmentador e otimizador de unidades de armazenamento.

O erro fazia o Windows "se esquecer" da data da última otimização, o que podia levar o sistema a realizá-la repetidamente, sem respeitar o período de manutenção definido pelo próprio Windows.

Embora a Microsoft não tenha lançado novas edições do seu sistema operacional, o Windows 10 vem ganhando "atualizações de recursos" numeradas, que trazem mudanças significativas.

O problema na otimização das unidades surgiu na versão 2004 do Windows 10, a mais recente dessas atualizações.

O problema atingia dispositivos de armazenamento do tipo SSD (estado sólido).

Essas unidades precisam ser otimizadas periodicamente com um comando especial chamado de "Trim" para orientar o SSD a dispensar blocos marcados como livres – um processo importante para a manutenção desse tipo de unidade de armazenamento.

Alguns usuários e publicações levantaram a hipótese de que o uso excessivo do comando "Trim" poderia danificar as unidades, mas não existe uma prova concreta desses danos.

Se o SSD não tiver nenhuma falha em seu projeto, o comando "Trim", por si só, não deve danificá-lo – o que tornaria o "bug" do Windows inofensivo para o hardware.

No entanto, o bug ainda é curioso por ser ocasionado por um simples esquecimento de uma data. De acordo com o site "Bleeping Computer", o erro foi relatado à Microsoft por testadores antes do lançamento da versão 2004, mas a correção só foi disponibilizada agora.

Microsoft corrigiu 129 falhas de segurança
A Microsoft também liberou seu pacote mensal de correções de falhas de segurança nesta terça-feira (8).

No total, a companhia eliminou 129 vulnerabilidades dos seus vários softwares – incluindo programas voltados para ambientes empresariais. Alguns dos erros, no entanto, atingiram o Windows, incluindo os navegadores Internet Explorer e Edge.

O Exchange, que é usado por empresas para criar e-mails para funcionários, recebeu uma atualização crítica por conta de uma falha que permite invadir o sistema com o simples envio de um e-mail malicioso. Essa é uma das falhas consideradas mais graves do pacote, mas atinge apenas ambientes corporativos.

Outra brecha permite que o Windows seja invadido apenas com a abertura de um arquivo multimídia. Arquivos de som e imagem normalmente são inofensivos, o que exige a exploração de falhas para que elas possam atuar de forma maliciosa no sistema. Não há registro da exploração dessa falha até o momento, mas é importante que a atualização seja instalada para evitar ataques.

O Windows 10 instala atualizações automaticamente para todos os usuários. Não é preciso tomar nenhuma atitude especial para receber essas correções – todos os sistemas devem recebê-las ainda esta semana.


Fonte: G1